ASMIR e AOMETO se reúnem com o Comandante do Corpo de Bombeiros do Tocantins

O presidente da Associação dos Militares da Reserva Reformados e Pensionista do Tocantins – Asmir, Capitão da PM Raimundo Sulino e o  presidente da Associação dos Oficiais Militares do Estado do Tocantins – AOMETO, Major QOPM,  Danilo Argollo Bragança, acompanhados do Coronel Luiz Cláudio Gonçalves Benício, Coronel Joaidson Torres de Albuquerque, do Major Antônio Barros Gomes e da Major Reginalda Aparecida da Silveira se reuniram nesta segunda-feira, 12, com o comandante Geral do CBM/TO coronel Reginaldo Leandro da Silva.

Durante o encontro os representantes da ASMIR e da AOMETO, solicitaram ao comandante do Corpo de Bombeiros providências administrativas e até legislativas, junto ao Governo do Estado, para que sejam suprimidos dos subsídios dos Oficiais Superiores (Maj, Ten Cel e Cel BM) os descontos denominados “redutor constitucional” e, consequentemente, possibilitar que os militares possuidores dos mencionados “postos”, recebam seus subsídios conforme tabela de vencimentos, prevista em lei.

As reivindicações foram documentadas em ofícios que destacam que o Tocantins é o único estado da Federação onde o Major, o Tenente-Coronel e o Coronel BM, há mais de quatro anos, vêm suportando em seus subsídios o injusto desconto, o que resulta na prática, que “Postos” diferentes tenham a mesma remuneração o que é totalmente incompatível com a carreira, a hierarquia e a disciplina militar. Para se ter ideia, o redutor constitucional representa um desconto mensal de R$ 1.059,86 no salário. Já o maior desconto por mês ocorre no salário do coronel R$ 10.073,80.

Ainda na mesma reunião com o Comandante Geral do Corpo de Bombeiros, Coronel Reginaldo Leandro, os presidentes da ASMIR e AOMETO solicitaram ao Comandante que faça gestão junto ao Governo do Estado para que seja editado Câmaras Técnicas específicas ou ato similar, com participação dos integrantes das associações militares para análise e solução dos passivos devidos aos militares (passivos referentes às Datas bases; promoções; diferença de tabela de subsídios e outros passivos).

O presidente da Asmir Capitão Sulino informa que as mesmas solicitações foram feitas também ao Comandante Geral da Polícia Militar do Estado do Tocantins, Coronel PM Júlio Manoel da Silva Neto. O presidente da Asmir afirma que os comandantes destacaram que as demandas são comuns às duas instituições militares e que os comandantes irão criar estratégias para levar as reinvindicações ao governador do Tocantins Mauro Carlesse.

Ascom ASMIR

ASMIR - 13/04/2021

COMENTÁRIOS

 Nome:
 E-mail:
 Texto:
Comentários (0)
  • Nenhum comentário publicado.