Se a moda pega, dia de reflexão. Boas práticas do orçamento familiar - BPOrF

Direto ao ponto, recentemente fiquei 40 dias sem o veiculo particular de apoio, o famoso “carro”, por várias peculiaridades me apossei do apoio do transporte público, táxi e da centenária bicicleta, pois minhas demandas pessoais, particulares e profissionais, estavam em pleno ciclo.

Singelas reflexões:

- não é nada fácil, tanto usar o transporte público, quanto a bicicleta, o esforço das peladas e caminhas é grande;

- questões comportamentais afloraram tipo, o que “fulano ou beltrano” vai falar disso, somos humanos, pensamos isso sim;

- muitos compromissos, foram alterados, cancelados e alongados;

- nosso corpo fortalece e você fica suado mesmo;

- situações econômicas são visualizadas e potencialmente alteradas, tipo, gastos com gasolina, mecânica, impostos, etc, você entendeu;

- oportunidade de conhecer outras pessoas e estilos de vida, tanto nas paradas de ônibus, estação, quanto no trafego de “bike”;

- valorizamos os transporte coletivo e a bicicleta a disposição;

- criticas construtivas ou não são sugeridas, se prepare;

- seus verdadeiros amigos aparecem.

Mas o que o ocorrido comigo, tem haver com o orçamento familiar?

Tudo haver, mudanças de hábitos devem ser considerados a todo o instante, atitudes novas não vão te empobrecer financeiramente, os dias passam e o terror do uso palavra “crise”, muito bem comercializada nos meios de comunicação de massa, despertam nos brasileiros ações nada convencionais.

Fuja do desespero, verifique que crise é essa, que os preços tendem a subir e não nivelar ou diminuir, não aposto nessa idéia, pense nisso.

Pelo contrario, situações como a falta de transporte pessoal, pode te ajudar em alternativas, ideais e conhecimento em prol a solução do caso especifico, mas se fosse outra situação.

Tanta adaptação leitor, lembra, você foi criança, adolescente, jovem, adulto, idoso, estamos migrando sempre, em finanças também existe isso.

Já pensou, 40 dias sem consumo, evidente que você iria desfalecer, mas muitas empresas iriam com você, jamais vou sugerir isso ok.

Duro mesmo, o orçamento familiar é assim, ou você faz hoje, se não fizer amanhã vai ser mais difícil, depois mais, até chegar ao clímax, que chamo de “método do endividamento do orçamento – MEDO.

Mesmo assim tem solução, somos viventes dotados de inteligência, fique frio e reaja.  

Imagine, um dia sem o consumo de gás, carne, energia, água para limpeza, guloseimas fora do cardápio, cinema, bebidas, doces, gasolina, vestuário, lazer, a lista não cabe na coluna, será que pode ser prejudicial para você ou para a economia local.

Não sei a resposta do parágrafo anterior, mas se a moda pega, muitas organizações vão ver o que é realmente crise.

Fiscalizar e agir em ações distintas são pontos vivos deste texto, ou seja, enfrente diariamente as questões da vida pessoal, profissional, social, econômica, não desista de você.

Fiquei sem carro, agora já estou com carro, tô vivo, a aprendizagem boa e ruim ficou, boas praticas podem ser aplicadas, melhoradas, descartadas e sugeridas às famílias.

Outro dia, uma cidadã pediu minha orientação financeira, estava endividada por questões de gastos com saúde, a sugestão inicial dela era procurar um agente financeiro para solucionar o caso (empréstimos), nada contra, acho que as financeiras tem que ganhar  mesmo, bom, após varias narrativas, apresentei uma solução simples, clara e palpável, pois estava na garagem da sua casa, venda, venda, pague, pague, passe a ventania, depois compre outro carro.

Em nossas oficinas sobre a temática “dinheiro da família”, apresentamos direções, mas solução é contigo e não com técnicos preparados e direcionados para seus resultados profissionais e pessoais, optem por cuidar do seu dinheiro, as aparências podem enganar, em países asiáticos, europeus e americanos, o transporte alternativo de bicicleta ou público já são orgulho nacional.

            Deus abençoe sua vida.

 

ROGÉRIO LOPES, é crente em Jesus Cristo, Meneger Financial Personal, Administrador de Empresas, Especialista no Agronegócios,  Instrutor de Cursos, Corretor de Imóveis e Perito Avaliador Imobiliário.

 [email protected]

Rogério Lopes, colunista JusTocantins - 28/10/2015

COMENTÁRIOS

 Nome:
 E-mail:
 Texto:
Comentários (0)
  • Nenhum comentário publicado.