Eleições 2012, Meio Ambiente e Plano Diretor da Capital, são assuntos da entrevista com o deputado Marcelo Lelis, do PV

"> Eleições 2012, Meio Ambiente e Plano Diretor da Capital, são assuntos da entrevista com o deputado Marcelo Lelis, do PV

"/>

Deputado Marcelo Lelis - PV - Tocantins

- www.justocantins.com.br - 22/08/2011
O Deputado Marcelo Lelis é um dos expoentes entre os novos políticos tocantinenses. Em seu segundo mandato no Legislativo Estadual, o goiano de Inhumas, de 40 anos, já foi gestor de turismo na Prefeitura de Palmas, vereador, e defende a bandeira do meio ambiente, sendo o principal representante do Partido Verde no Tocantins.
 
Ao site JusTocantins, o deputado destaca seu posicionamento diante das mudanças do Código Florestal, da proposta de lei de sua autoria que pede a proibição de sacolas plásticas em estabelecimentos comerciais do Estado, além de opinar sobre as discussões quanto à expansão do Plano Diretor de Palmas e é claro sobre o pleito municipal em 2012, quando está entre cotados para concorrer à chefia do executivo palmense.
 
Confira a íntegra da entrevista:
 
 
JusTocantins – Como o principal representante do Partido Verde no Tocantins, gostaria que o senhor analisasse o embate de houve recentemente sobre as mudanças no Código Florestal?
 
Marcelo Lelis – Entendo que em vários pontos a proposta representa um regresso em uma área vital para o País atualmente, que é a área ambiental, e para evoluirmos nesta área há a necessidade de uma legislação mais restritiva. Entendemos que a agricultura é de suma importância para o desenvolvimento do País, no campo econômico
 
JusTocantins - Governistas e oposição discordam em alguns aspectos da mudança do Código Florestal,  o senhor acredita que haja interesses políticos envolvidos? 
Marcelo Lelis – Sim, sem dúvida, o congresso é o espelho da sociedade, e em uma queda de braço entre a abertura e a restrição, que engloba a possibilidade de desenvolvimento econômico e preservação ambiental há sim interesses políticos e econômicos envolvidos. 
 
JusTocantins - O senhor propôs uma lei a respeito da utilização de sacolas plásticas. Em que aspectos essa lei pode beneficiar o Estado? Mais importante do que proibir o uso de sacolas não seria investir numa educação para conscientizar?
 
Marcelo Lelis – A minha proposta é a proibição de uso de sacolas plásticas nos estabelecimentos comerciais, como supermercados, por exemplo. As sacolas plásticas levam de 300 a 400 anos para se dissolverem no meio ambiente, então, existe essa proposta de utilização pela sacola biodegradável, retornável, que apesar de ter um custo maior e melhor opção do ponto de vista ambiental.
 
Em relação às ações de conscientização, acho que os dois processos têm que caminhar juntos, paralelamente. Na proposta de lei existe um tempo previsto de adaptação, acredito que nesse período deva se realizar o trabalho de conscientização, e após a implementação da lei, da proibição em si, ele também deve ser mantido.  
 
JusTocantins - Qual o impacto dessa medida em curto, médio e longo prazo? O senhor poderia demonstrar isso em números? 
 
Marcelo Lelis – Não, não tenho esses números. Até tentamos fazer esse levantamento, mas são muitos estabelecimentos comerciais, teríamos que ir em cada um deles, não foi possível.
 
JusTocantins - O senhor avalia que pode haver algum prejuízo para o comércio no Estado caso a lei passe a vigorar? E isso pode afetar as intenções de empresários de investir aqui? 
 
Marcelo Lelis – Não. Lembro que na ocasião que propomos a lei, assisti a uma entrevista da presidente da Associação Tocantinense de Supermercados (Atos), Maria de Fátima de Jesus, em que ela, representando sua categoria, se posiciona favorável ao uso da sacola retornável. 
 
JusTocantins - Nosso Estado tem o agronegócio como sua principal atividade econômica. O senhor acredita que mudanças que tornem as leis mais severas, em termos de preservação, podem reduzir investimentos nessa área? Como aliar desenvolvimento e sustentabilidade  em um Estado que está em pleno processo de crescimento ?
 
Marcelo Lelis – Não, nós temos muito espaço que já foi degradado, e além disso a tecnologia está cada dia mais disponível, e supre essa necessidade na preparação do solo. A tecnologia especialmente é uma aliada, ela é a principal forma de aliar sustentabilidade e crescimento aqui no Tocantins. 
 
JusTocantins – As eleições para prefeito municipal estão próximas. Quais são os seus planos para o pleito? Teremos Marcelo Lellis como candidato a prefeito de Palmas? 
 
Marcelo Lelis – Em uma eleição majoritária  tem-se a articulação de um grupo, estamos trabalhando nessa articulação. Não há como negar que tenho intenção de ser candidato em Palmas. Em Palmas fui secretário, depois presidente da Agência de Meio Ambiente e Turismo (Amatur), em 2005, fui vereador, e em 2006 fui eleito como deputado, sendo mais bem votado na Capital, em 2008, fui reeleito com deputado estadual, com 11.857 votos, sendo o candidato mais bem votado da Capital. Então tenho esse objetivo, mas essa não é uma decisão isolada é o trabalho de um grupo.
 
JusTocantins – Há um debate vívido, no poder público municipal, entre executivo e legislativo, sobre a questão da expansão do Plano Diretor de Palmas? Qual a sua opinião a respeito? A proposta de expandir em direção ao leste (município de Aparecida do Rio Negro), à margem da rodovia que liga Palmas a Lajeado, é a melhor opção? 
 
Marcelo Lelis – Já me posicionei contrário em relação à proposta de expansão em direção à Serra, por motivos óbvios, a preservação da Serra para esportes radicais, das nascentes que existem lá, então, acredito que àquela área deve ser intocável. Há melhores possibilidades de expansão na direção sul e norte.

COMENTÁRIOS

 Nome:
 E-mail:
 Texto:
Comentários (0)
  • Nenhum comentário publicado.