Fim de ano à vista, famílias atentas no consumo. Orçamento familiar em ação (13º salário)

Chegando o final do ano, empresas de bens de consumo a postos, programação de marketing acertada, mídia preparada, preços, prazo e promoções ajustados e consumidor eufórico com período que comumente chamamos natalino.

Evidente que o período natalino vem recheado de boas novas do ponto de vista econômico, financeiro e da moral da nação, por cautela vou me ater em finanças da família.

Vem aí o esperado 13º salário, em alguns casos recebimento de dívidas empregatícias e indenizações também são aguardadas para muitos trabalhadores no final do ano, nisso o mercado fica atento, alvoroçado e estratégico nos meses de outubro a dezembro, com visão de oportunidade de vender, tema para o próximo artigo.

Neste rumo o consumidor visionário e sensível, por sua vez ver vistas para presentes, viagens, festas, amigo secreto na empresa e na família, filantropia, apoio social, rifas de formaturas, manutenção de casa e no veículo, aquisições, gulouseimas natalinas, roupas, acessório, artigos de informática e telefonia, investimento em educação, saúde, liquidação de impostos ou dívida, enfim “n” pensamentos para usar o dinheiro economizado durante o ano ou o no que temos a receber em especial o 13º salário.

Que maravilha, todos graciosos no face e whatsapp, obá convites a vista.

Antes sugiro a verificação dos sinais de suas finanças no decorrer de 2016 (reflexão), para suas ações com dinheiro neste final de ano.

Não posso pontuar como usar seu dinheiro por ser uma situação pessoal ou individual das famílias, mas alerto e afirmo que vai passar outubro, novembro e dezembro de 2016 e, o 1º, 2º, 3º trimestre de 2017 vem afoito, você está preparado?

Cautela pode transformar suas festas de final de ano numa alegria em 2017, cuidado com as aparências das pessoas (físicas e jurídicas), estamos sendo monitorados por todos os lados com vistas ao consumo.

Sou a favorável do consumo apoiado em princípios de contínuos, faça sim parte do festejo natalino, você, seus familiares e amigos merecem tal atenção, mas siga com consciência do passageiro (aquele que fica do lado do motorista, prestando atenção a tudo).

Atenção família nesta dica.

Que tal visitar o parque, no parque olhamos para as outras pessoas, nisso vivenciamos nossas carências comportamentais e de consumo, responda, será que tenho que trocar meu celular, tênis de caminhada, carro, dentre outros, haja vista que vi acessório, aparelhos, equipamentos, comportamentos/hábitos, aparentemente mais legal que o meu no parque...

Lembrando, para ir ao parque, nos arrumamos, ficamos apresentáveis, pois sabemos que outras pessoas estão por lá, aparências ou não, cômico ou ousado, mas pode ajudar nas decisões financeiras.

Pensando nisso, relembro os alicerces do orçamento familiar ora debatidos em vários textos de minha autoria, que são espelhados em renda (R$), continuidade (R$ constante) e controle (manual, computacional e comportamental) e comunicação, argumentos que devem ser explorados no momento do uso do dinheiro da família a todo o tempo.

Por derradeiro, quero confraternizar com você gestor familiar (homens e mulheres), pelas suas conquistas em 2016, por sustentar com ânimo dos apuros da gestão do dinheiro da família e oferecer a seus entes queridos o melhor de si, estamos juntos em 2017 nesta temática com conforto em dizer que é possível sim equilibrar de forma positiva nossas finanças.

Deus abençoe e boas festas de final de ano.

   

ROGÉRIO LOPES, é crente em Jesus Cristo, tocantinense, portuense, palmense, Meneger Financial

Personal, Administrador de Empresas, Instrutor de Cursos, Especialista no Agronegócios, Corretor de Imóveis e Perito Avaliador Imobiliário.

[email protected]

Rogério Lopes, colunista JusTocantins - 20/10/2016

COMENTÁRIOS

 Nome:
 E-mail:
 Texto:
Comentários (0)
  • Nenhum comentário publicado.