Compartilhar informações – Estudos Sociais – Opinião

Rogério Lopes* - 01/03/2019

Lembro-me de um senhor que pedi informações acerca de um endereço que não conseguia localizar, que dica e educação apreciável a resposta naquele pedido.

Possivelmente já aconteceu algo assim com você.

Compartilhar informações conduz um pensamento sequencial relativo às redes sociais, fenômeno ainda em estudo por ser amplamente explorado pelas comunidades, cientistas, governos e corporações.

 Utilizo algumas das variadas modalidades de mídia como apoio às minhas atividades comerciais, tal atitude não é apenas minha realidade, são rotineiras para bilhões de pessoas e milhões de organizações.

Nesse ínterim social tenho colhido benefícios e malefícios, onde cuidado e zelo são preponderantes para os feedbacks que espero.

 Esclareço que compartilhar informações está em nosso cotidiano, um bom dia ou um sinal confirmação de sinais, podem sim ser considerado compartilhamento de informações, depende de variáveis como estado, tempo, espaço, interesses, status, desejos, ego, realizações, dentre muitas outras.

 Para apropriar sobre tal temática no ponto de vista do senso comum, conversei com algumas pessoas sobre as redes sociais e, unanimemente a preocupação com a segurança de dados foi o assunto primordial.

 Segurança deveria ser um polo trivial nas relações humanas, mas a mídia comercial ou não nos pública que muitas pessoas estão free com suas informações cadastrais, imagens, e outros pontos que podem extrapolados para violência física ou moral.

Seguindo o pensamento, pergunto ao leitor: Estamos preparados emocionalmente para os resultados advindos dos compartilhamentos de informações, em especial nas redes sociais?

Minha resposta não interessa ao leitor, a sua poderá ajudar doravante suas relações sociais e profissionais.

Fiz esse questionamento para sessenta contatos no meu whatsapp, apenas dez pessoas se pronunciaram com questões que extrapolaram o sentido trivial da pergunta. Percebi que reações emocionais estavam implícitas nas respostas que apenas psicólogos e psiquiatras podem explicar com propriedade cientifica.

Fiquei feliz que meus contatos interessam por temas que abordo, pois um dos objetivos e compartilhar.

Esse é o Xis da questão, as redes sociais e compartilhamento de informações tem muita a ver com questões de ego (eu de cada um, o defensor da personalidade), de cada individuo.

Portanto, considero o compartilhamento de informações, uma vertente dos estudos sociais, pois de maneira sutil ou não promovem a competência cívica de cada, bem como surgimento de novas tecnologia futuristas, que ainda vão dar muitos estudos de caso.

 Para finalizar, conto uma anedota de cunho pessoal: Um cameleiro sem cessar, oferecia água para seu animal, mas de tanto aquele dromedário compartilhar com seu condutor sua desnecessidade de beber água naquele momento, continua atravessando desertos por aí. A moral da historia, depende de sua interpretação social.

Compartilhe com limites, não faça como o cameleiro, oferecendo o que não tem mais necessidade.

Bons resultados e Deus abençoe.

 

Rogério Lopes, é crente em JESUS CRISTO, Facilitador em Finanças da Família, Administrador de Empresas, Especialista no Agronegócios,  Articulista em Negócios, Corretor de Imóveis,  Perito Avaliador Imobiliário e Colunista do site JUSTOCANTINS.  [email protected]

COMENTÁRIOS

 Nome:
 E-mail:
 Texto:
Comentários (0)
  • Nenhum comentário publicado.