Em workshop com jornalistas, presidente da Energisa falou sobre investimentos e revisão tarifária 2020

Jurbiléia Pinto - Especial para o JusTocantins - 01/07/2020

A partir de 4 de julho, o tocantinense vai pagar mais caro nas contas de energia elétrica. Isso porque a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou um reajuste médio de 7,17% nas tarifas da Energisa Tocantins. Para os consumidores conectados à alta tensão, o aumento será de 1,79%, e para a baixa tensão, a alta será de 8,54%. Em Workshop realizado nesta quarta-feira,1º, o diretor- presidente da EnergisaTocantins, Márcio Zidan e o presidente do Instituto Acende Brasil, Claudio Sales, explanaram detalhes do reajuste.

A revisão tarifária periódica da distribuidora acontece de quatro em quatro anos e visa manter o equilíbrio econômico-financeiro dos contratos de concessão. Zidan explicou que a revisão passará, a partir de 2020, a ser feita de cinco em cinco anos. “A Energisa está atuando no Tocantins desde 2014 e hoje atendemos mais de 600 mil clientes. De 2016 a 2019 tivemos um incremento nos investimentos buscando melhorias dos serviços prestados e no Estado”, disse, destacando que nesse período foram investidos cerca de R$ 1,2 bilhão.

Questionado sobre o índice de inadimplência neste período de pandemia do novo coronavírus, Zidan afirmou que houve acréscimo, mas por questões éticas a empresa não divulga os números. “A inadimplência não cresceu só no Estado, mas esses dados vão para o relatório. Temos trabalhado no limite do bom senso”, disse. Já em relação a campanhas e ações para ajudar os consumidores a saldar suas dívidas com a empresa, Zidan explicou que foram realizadas campanhas educativas para redução do consumo de energia nesse período e a empresa tem feito negociações de dívidas, de forma a adequar a vida financeira do cliente.

Por sua vez, Salles destacou que apesar do aumento da inadimplência, os custos para manter a qualidade e padrões de energia permaneceram altos, e devido a queda da receita, a empresa tem trabalhado para manter a capacidade econômica, para evitar chegar em situação de colapso.

Ele explicou ainda, que para haver a revisão tarifária da Energisa Tocantins, são considerados vários itens, entre eles, os investimentos e gastos para remunerar a atividade de distribuição de energia e os custos com transmissão de energia.

Conta-Covid

Questionado sobre a não adesão da distribuidora à Conta-Covid, operação de socorro ao setor elétrico, Zidan explicou que o objetivo desse recurso junto aos bancos é manter nesse momento a fluidez financeira das concessionárias de energia, pois é uma conta que deverá ser paga no futuro, e que não impacta na revisão tarifária. 

Investimentos

A Energisa Tocantins atende atualmente mais de 604 mil unidades consumidoras em todos os 139 municípios do Estado.  Zidan explicou que entre os principais investimentos nos últimos anos, estão a construção de três novas substações de energia no Estado, 14 ampliações, automação das estações, aquisição de substação e transformador móvel e a ampliação para mais 150 linhas de distribuição de energia no Estado.

Em 2019, a Energisa ficou no ranking das cinco maiores distribuidoras de energia no País. Além dos investimentos, a empresa gerou cerca de mil empregos desde a sua atuação no Estado e promove diversas ações de responsabilidade social. E mesmo com aumento da inadimplência durante a pandemia, fez doações de respiradores para o Estado para ajudar no tratamento de pessoas infectadas com o novo coronavírus.

COMENTÁRIOS

 Nome:
 E-mail:
 Texto:
Comentários (0)
  • Nenhum comentário publicado.