Polícia Civil e Polícia Científica identificam ossada humana de pessoa desaparecida em Formoso do Araguaia

Um trabalho investigativo realizado pela Polícia Civil do Tocantins, por meio da 84ª Delegacia de Formoso do Araguaia, com apoio do Instituto de Genética Forense, órgão vinculado à Polícia Científica, resultou na identificação de uma ossada humana que havia sido encontrada em 29 de novembro de 2019, naquela cidade.

Segundo a delegada-chefe da 84ª DP, Thuanny Rúbia Ferreira da Silva, trata-se de Marcos Pereira da Silva, 23 anos, e que estava desaparecido desde o dia 19 de outubro de 2015.  O trabalho investigativo da PC-TO teve início logo que os parentes de Marcos Pereira da Silva, que era deficiente mental e visual, foram até a sede da Delegacia e registraram um Boletim de Ocorrência registrando o desaparecimento.

“Por meio de investigações, diligências em campo, levantamento de dados, cruzamento de informações e ainda contando com o apoio de peritos do Laboratório de Genética Forense que elaborou o Laudo Pericial de Identificação Humana, foi possível identificar uma ossada humana como sendo a de Marcos Pereira da Silva.

Desaparecimento

Conforme boletim de ocorrência registrado no dia 16 de outubro de 2015, na manhã do dia 15, Marcos Pereira da Silva teria saído de casa a procura de uma ambulância para seu pai que estaria acamado, tendo sido visto pouco tempo depois nas imediações de uma estrada vicinal após o Setor Aliança. Na época foram realizadas diversas buscas, tanto pela Polícia Civil, quanto pelo Corpo de Bombeiros, e também por populares. No entanto, não foi localizado.

No dia 29 de novembro de 2019, um caçador encontrou partes humanas, como crânio e costelas, na região próxima onde Marcos Pereira da Silva havia desaparecido. O caso foi repassado para a Polícia Civil, juntamente com a Perícia Técnica estiveram no local, realizaram as escavações, sendo recolhido crânio e parte da ossada.

A partir de então, teve início à realização de vários laudos técnicos, levantamento de informações e dados até a coleta de material genético de parentes da suposta vítima, sendo emitido o laudo definitivo conclusivo em 24 de setembro de 2021, o qual atestou que a ossada pertence, de fato, a Marcos Pereira da Silva.

A Polícia Civil ainda continua as investigações para esclarecer o desaparecimento, trabalhando várias linhas de investigação. Existe a possibilidade de que Marcos Pereira da Silva tenha sido vítima de homicídio, uma vez que as partes de seu corpo foram encontradas parcialmente enterradas.

SECOM - Governo do Tocantins - 30/09/2021

COMENTÁRIOS

 Nome:
 E-mail:
 Texto:
Comentários (0)
  • Nenhum comentário publicado.