Boas memórias em finanças. Um excelente exercício do presente. Dica da série quero ser Rico

Numa roda de conversas oportunizada por meio do aplicativo Whatsapp com 06 participantes, relembramos trajetórias positivas em finanças da família.

Que discussão!!!

Memórias positivas em finanças podem nos auxiliar com situações diárias?

É claro que sim.

Boas memórias são possibilidades.

Possibilidades são caminhos para a solução de problemas em todas as áreas do conhecimento.

Há pouco tempo, em conversa descontraída com um ancião que trabalhou no meio rural, gargalhadas aconteceram, em especial, sobre grandes boiadas que passavam dentro das pequenas cidades nos anos de 1960 a 1980.

Interessante ou não, memórias de acontecimentos pretéritos auxiliam na solução de situações do presente, é são riquezas nas relações humanas.

Boas memórias são fáceis de obter e sem custo algum, podem ser extraídas em conversações simples ou coletivas.

Em finanças da família, sugiro uma analogia entre momentos pretéritos e presentes, com vistas nos vindouros para os clientes.

Fácil ou não, o que custa tentar...

Tal prática fomenta mapas mentais, especiais, exclusivos e pessoais, para sabermos a sintonia dos acontecimentos atuais versus indicadores temporais, que podem nos auxiliar na tomada de decisão sobre o uso do dinheiro.

Talvez um risco na trajetória de alavancar memórias positivas e vir à tona as negativas, mas vale a pena o risco.

Nesse caso, sugiro o apoio de pessoas de confiança para ponderar ou extrair apenas o positivo dos acontecimentos.

Finalizo com um causo de minha autoria:

Tempos em tempos, acontecia uma guerra entre os insetos daquele quintal. Mas aquela guerra era diferente, mesmo que as armas fossem iguais, mas tinha algo diferente no agir dos exércitos. Até que um dos comandantes chamou a cigarra para analisar o teatro de guerra. Essa por sua vez, teve que chamar o amigo gafanhoto, que já tinha participado de várias consultorias no assunto. O gafanhoto passou dias analisando a situação, finalmente comentou: acalmem-se, essa guerra vai acabar logo, é o exercito vitorioso será o que não recuar da ação. Assim terminou a consulta da cigarra, afirmando para o comandante que ele deveria recuar.

Moral: às vezes temos que tomar as mesmas iniciativas de outrora, para acabar com uma guerra do momento.

Pratique e compartilhe esse exercício de vivenciar boas memórias, em especial quando o assunto e riqueza e o uso do dinheiro.

Deus os abençoe!

 

Rogério Lopes é crente em JESUS CRISTO, facilitador em Finanças da Família, Administrador de Empresas; Especialista no Agronegócios; Articulista em Negócios; Corretor de Imóveis; Perito Avaliador Imobiliário e Colunista do site Justocantins.  [email protected]

 

Rogério Lopes é crente em JESUS CRISTO, facilitador em Finanças da Família, Administrador de Empresas; Especialista no Agronegócios; Articulista em Negócios; Corretor de Imóveis; Perito Avaliador Imobiliário;  Auditor Interno;e Colunista do site Justocant - 12/04/2021

COMENTÁRIOS

 Nome:
 E-mail:
 Texto:
Comentários (0)
  • Nenhum comentário publicado.