Me chamou atenção nos primeiros dias do ano de 2016. Serie bons hábitos.(Gestão e Comércio)

Estávamos tranquilos numa panquecaria em Araguaína-To, quando chegou no recinto uma família, o casal, uma criança de colo e outra com de uns dez anos, este último chamou minha atenção, pois estava lendo um “livro”, avesso a qualquer situação ambiental ou mercadológica do recinto, estava lendo tranqüilo seu livreto, que coisa.

                Minha surpresa, talvez seja a sua de ler a narrativa deste evento, para mim o acontecido não é nada normal, ver um pré-adolescente, em tempos de internet, facebook, whatsapp e demais aplicativos, lendo um livro em pleno momento de lazer, admirável.

                Concordo que a leitura direcionada ou não pode ampliar nosso entendimento, pois podemos perceber cenários, situações e temporizar ações do ponto de vista pessoal, social e profissional.

                Como não sou pedagogo nem psicólogo, conversei sobre este assunto com profissionais da área, com intuito de fazer ligação com as relações do trabalho, estes, confraternizaram com o acontecimento e falaram que ler influencia na formação da personalidade do homem em todas as suas fases, sugeriram que o hábito da leitura vale à pena.

                Correlacionando com gestão e comércio, “bons hábitos”, lema ou estratégia, questiono se que nossos administradores, vendedores, atendentes, secretárias, e outros talentos nas organizações, lêem pelo menos os manuais, estatutos, normas e documentos relacionados com a atividade da empresa que estão inseridos.

                Evidente, que a leitura por si não é o foco deste texto, e muito menos garante sucesso ou lucro, mas sim o que estamos fazendo para melhorar o rumo de nossa história profissional ou da organização que estamos inseridos.

                Incentivar a leitura dos colaboradores pode ser algo produtivo?

Não tenho a resposta, verificando o cenário comercial do último trimestre, comecei o ano de 2016, distribuindo cartões, visitando clientes em potencial, interagindo com fornecedores, colegas de profissão, pesquisando e escrevendo nesta coluna, parece pouco, mas é o que posso fazer no momento com custo reduzido.

                Veja, grandes empresas fazem o básico, limpam, cortam, melhoram, reúnem, revisam, alteram processos, buscam novos produtos, clientes e praças de atuação, expandem, recomeçam e terminam.

                Não sei a situação que está seu empreendimento comercial ou sua vida profissional neste inicio de ano, mas comece algo, lembro uma vez ganhei um balão colorido e fiquei satisfeito, estou falando de ações comerciais simplificadas.

                Mais um veja, pequenas empresas, podem limpar, cortar, melhorar, reunir, consertar, alterar processos, buscar novos produtos, clientes e praças de atuação, expandir, recomeçar e terminar, viu, nada de simplicidade, e é possível agir ou reagir.

                Portando, bons hábitos podem revelar atitudes de sucesso nas empresas e em nossa vida profissional, sim ou não, sugiro buscar a sua resposta.

Há, o que vai ser do jovenzinho leitor no futuro não sei, mas ele deve estar viajando numa boa leitura, espero que ele seja um aviador de verdade.

                Concluo dizendo, empresários, vendedores, profissionais liberais, vem aí, carnaval, semana santa, páscoa, eleições, dias dos pais, mães, férias, praias, dia disso e daquilo, o ano de 2016 está apenas começando, aproveitem.

                Deus Abençoe.

  

*ROGÉRIO LOPES, é crente em Jesus Cristo, Meneger Financial Personal, Administrador de Empresas, Especialista no Agronegócios,  Instrutor de Cursos, Corretor de Imóveis e Perito Avaliador Imobiliário.

 [email protected]

Rogério Lopes, colunista JusTocantins - 16/01/2016
Leia mais: Gestão

COMENTÁRIOS

 Nome:
 E-mail:
 Texto:
Comentários (0)
  • Nenhum comentário publicado.