Pós-vendas e fidelizar clientes, ações de vendas – Boas Práticas Empresariais – BPE

Adquirir um bem é uma vontade de todos, principalmente quando o bem agrega valor patrimonial tangível e intangível.

Sobre bens intangíveis nos próximos artigos vamos elaborar informação com profundidade que o assunto requer, neste caso estes bens são status, poder, qualidade e felicidade.

Vamos lá, pós-vendas e fidelizar clientes são palavras do jargão empresarial bem exploradas da ciência de vendas e distintas, pincelando, digo que “pós-venda é a etapa que se inicia logo após o momento da aquisição de um Produto ou Serviço de uma empresa, a partir da entrega, o consumidor passa a usufruir do produto ou serviço adquirido”. Fonte: Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre

Fidelização em vendas, “pode ser compreendido como ato de tornar clientes, em pessoas fiéis ao seu produtomarca ou serviço”. Fonte: Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre

Continuando, apresento um caso, uma popular e famosa firma que conheci, o simples serviço “leva e traz”, foi cancelado, o motivo oficial ninguém sabe, as justificativas são muitas e subjetivas, pelo tamanho e peso não cabem no artigo.

Mas será que pós vendas e fidelizar clientes envolvem custos ou despesas adicionais ou são investimentos para empresas promissoras, revelo que sim, os custos destas ações podem ser de boas em cifras, mas o resultado aparece no curto prazo.

Se você pesquisar vai concluir que existem empresas com centenas de anos, mas qual o diferencial delas, seria preço, prazo, praça, promoção, acredito que não, produtos eficientes tamaliados a ações anteriores e posteriores à venda, pense nisso, pode ser seu nicho contra a “crise”.

Sobre, “crise”, muitos estão ganhando R$ com a palavra e o terror econômico causado, cuidado empresário não mexa no seu modelo de pós-vendas e fidelização de clientes, busque alternativas com custos menores, sei que é difícil, mas os brasileiros são “dez” em soluções.

            Veja, sempre volto quando tenho um bom atendimento, respeito, não tenho complicações de pagamento, ambiente limpo, agradável e climatizado, vendedores alegres e prestativos, ofertas de “mimos”, o ser humano é assim, gosta de dar retorno, neste ínterim, informo as empresas para amigos, conhecidos, meu ciclo de amizade, talvez você também pense assim.

Uma ligação, a forma de entregar uma encomenda, a embalagem, as orientações de uso, o sorriso, o usual pronome de tratamento, o apoio após a compra, são plataformas de empresas que visam o futuro, e isso, tem tudo haver com o cliente, pois clientes são pessoas, e estas ensejam necessidades, disso você sabe.

Pergunto, se não fosse o advento do código de defesa do consumidor – CDC, teríamos pós-vendas.

Mais perguntas, nossos vendedores fazem pós-vendas ou só pensam em vender, como faço a fidelização do meu cliente, bom questionamento e não tenho resposta modelo.

Para ilustrar, comprei uma carne, não para churrasco, num açougue simples da cidade de Palmas-To, o vendedor (açougueiro), me perguntou detalhes do corte, foi prestativo, ágil, educado, pediu meu contato, e dias depois me ligou depois de um tempo, pronto fidelizou o cliente, sempre volto lá, e indico para amigos.

Concluindo, não precisamos fazer algo excepcional para consolidar nossas vendas ou negócios, precisamos pensar bem no assunto, agradar as partes e encontrar a tática adequada melhorar nossa atuação pessoal e no mercado.

            Abraços, Deus nos abençoe.

 

ROGÉRIO LOPES, é crente em Jesus Cristo, Meneger Financial Personal, Administrador de Empresas, Especialista no Agronegócios,  Instrutor de Cursos, Corretor de Imóveis e Perito Avaliador Imobiliário.

 [email protected]

Rogério Lopes, colunista JusTocantins - 17/10/2015
Leia mais: Gestão

COMENTÁRIOS

 Nome:
 E-mail:
 Texto:
Comentários (0)
  • Nenhum comentário publicado.