59) (XXXI EXAME) Maria, em uma loja de departamento, apresentou roupas no valor de R$ 1.200 (mil e duzentos reais) ao caixa, buscando efetuar o pagamento por meio de um cheque de terceira pessoa, inclusive assinando como se fosse a titular da conta. Na ocasião, não foi exigido qualquer documento de identidade. Todavia, o caixa da loja desconfiou do seu nervosismo no preenchimento do cheque, apesar da assinatura perfeita, e consultou o banco sacado, constatando que aquele documento constava como furtado.

Assim, Maria foi presa em flagrante naquele momento e, posteriormente, denunciada pelos crimes de estelionato e falsificação de documento público, em concurso material. Confirmados os fatos, o advogado de Maria, no momento das alegações finais, sob o ponto de vista técnico, deverá buscar o reconhecimento

Preencha os campos:

  • A) do concurso formal entre os crimes de estelionato consumado e falsificação de documento público.

  • B) do concurso formal entre os crimes de estelionato tentado e falsificação de documento particular.

  • C) de crime único de estelionato, na forma consumada, afastando-se o concurso de crimes.

  • D) de crime único de estelionato, na forma tentada, afastando-se o concurso de crimes.

Receba as novidades do portal JusTocantins em sua caixa de entrada. Basta informar um e-mail válido no campo abaixo e cadastre-se: