Delegada chefe da Divisão de Inteligência do NIS-TJTO, Milena Lima ministra palestra na CDL Palmas e alerta sobre crimes cibernéticos

A chefe da Divisão de Inteligência do Núcleo de Inteligência e Segurança Institucional do Tribunal de Justiça do Tocantins (NIS-TJTO), delegada Milena Lima, auxiliada pela integrante do Núcleo e policial civil Clarissa Vasques, ministrou, na noite desta quinta-feira (7/10), no auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Palmas, a palestra “Como Prevenir sua Empresa de Fraudes Utilizando Meios de Comunicação". A iniciativa foi da CDL Palmas e Polícia Civil do Tocantins.

O evento foi realizado presencialmente, seguindo os protocolos sanitários em razão da Covid-19, e também de forma virtual pelo canal da CDL Palmas no YouTube. O público foi formado basicamente por empresários, gestores e empreendedores. Milena Lima abriu a palestra com os agradecimentos à CDL Palmas, à Polícia Civil e à delegada-geral da Polícia Civil do Tocantins, Raimunda Bezerra de Souza. Também aproveitou a ocasião para enaltecer a gestão do presidente e vice-presidente do TJTO, respectivamente, desembargadores João Rigo Guimarães e Pedro Nelson de Miranda Coutinho.

Invasão e criação de perfis falsos na internet, golpes utilizando aplicativos de redes sociais, compras e vendas de produtos e fornecedores desconhecidos na internet, sobretudo em redes sociais, anúncios falsos, golpes com o uso do Pix e transferências bancárias, normas de segurança, dentre elas a identificação do boleto falso, foram algumas das abordagens feitas pela palestrante. Milena Lima fez recomendações preventivas para que as pessoas não sejam vítimas de golpes praticados no ambiente virtual e demais meios de comunicação, a exemplo de ligações telefônicas. Destacou também os cuidados para não fazer pagamentos para desconhecidos, não baixar aplicativos falsos, verificar remetentes de e-mails, não cadastrar chaves Pix e nem inserir dados de conta em sites redirecionados, ter cuidado com Wi-fi compartilhado com estranhos, entre outras.

Avanços do crime

“A internet trouxe muitas facilidades para todos nós, mas devemos ter todo cuidado nos ambientes virtuais. A evolução dos crimes, principalmente a partir dos anos 2000, é estrondosa. E nós, na maioria das vezes, não nos preparamos para isso. Mesmo os profissionais dando o melhor para atender às demandas dos crimes, é humanamente impossível responder à sociedade de forma rápida, porque são investigações que demoram meses, por isso temos que ter o conhecimento para nos prevenirmos”, alertou a delegada Milena Lima. Uma consideração importante feita por ela foi quanto ao ransomware (prática de invasão de computadores, criptografia dos dados e exigência de pagamentos para que a vítima volte a ter acesso aos arquivos armazenados). Como prevenção, a delegada sugeriu efetuar o backup como segurança.

Para o presidente da CDL Palmas, Silvan Marcos Portilho, discutir o tema com o público-alvo da entidade é significativo. “Sabemos que o empresário sofre muito com esses crimes. É uma demanda que o comércio trouxe para a entidade e a CDL fez essa ponte junto com o Tribunal de Justiça para levar conhecimento a esse público. Isso é muito importante, pois com informações corretas, evitaremos que mais empresas sofram com esse tipo de crime”, disse. Ele não apresentou estatísticas dos crimes cibernéticos em Palmas, destacando dados em âmbito nacional, mas adiantou que é uma demanda crescente.

Números

De acordo com recortes de reportagens veiculadas na mídia, a palestrante mostrou casos desse tipo de crime. Dados de setembro deste ano, em matéria veiculada no Estadão, por exemplo, mostram que o Brasil é o 5º maior alvo de crimes cibernéticos, com perdas globais que podem chegar a seis trilhões de dólares, três vezes o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil, de acordo com estudo conduzido pela consultoria alemã Roland Berger.

Segundo apresentou a palestrante, o custo do cibercrime no Brasil é de 1,8 bilhão de dólares. E as estatísticas mostradas no mundo não são nada animadoras: em 2020 o prejuízo com os crimes cibernéticos foi de um trilhão de dólares para a economia global. “É de grande importância estar participando desse bate-papo para nos prevenirmos de tantos golpes que estão acontecendo no âmbito da internet, e com isso proteger nossas empresas, orientar nossos clientes e não cair nesses golpes que estão aí a todo vapor”, disse o gerente da Valadares Home Center, Wanderley S. de Sousa.

Como denunciar

A palestrante orientou os presentes para, no caso de golpes, procurar a delegacia mais próxima e denunciar. Mesmo em tempos de pandemia, a denúncia pode ser registrada pela Delegacia Virtual, por meio da delegaciavirtual.sinesp.gov.br/portal e ainda pelo telefone (63) 3218-1844.

Ramiro Bavier Fotos: Elias Oliveira/ Comunicação TJTO - 08/10/2021

COMENTÁRIOS

 Nome:
 E-mail:
 Texto:
Comentários (0)
  • Nenhum comentário publicado.