A boneca de fitas

Eu sonhei que eu era uma menina que tinha trancinhas e um lindo par de fitas.

Eu fitava, fitava, o balão e a pipa.

Sentia que minha alma rodava ao redor das nuvens.

Conseguia voar e olhar o belíssimo céu momentâneo que encarava esta arte infantil  e desenhava alegremente vários desdobramentos da minha mente.

Um urso, um sol, um barco, um olho, rostos : quantas nuvens em metamorfose. Que belo!

Sou aquilo, uma nuvem em expansão e fugirei com o vento. E ele aliviará o calor da infância, juventude, os fogos internos, porque desbravarei os prados da terra.

Estou feliz! Ainda bem que meus cabelos estão presos nas fitas da infância.

Mamãe não pode se preocupar. Voar no alento não é perigoso. No céu não tem piolhos, não falta água, estarei sempre limpa e as mães somente se rebelam porque as filhas se transformam em bonecas de fitas.

Eu sou uma boneca desenhada na pipa de alguma criança.

É ótima esta sensação: Eu linha, eu desenho, eu ali voando eternamente no sereno.

Nuvens. Nuvens. Voar....

Luciana Costa Aglantzakis - 09/02/2022

COMENTÁRIOS

 Nome:
 E-mail:
 Texto:
Comentários (0)
  • Nenhum comentário publicado.