O bicho esperança e o ônibus da vida

No início o ônibus estava vazio, era um dia inicial do mundo. Deus queria algo que colocasse gás na vida e enviou de quebra  um ônibus maluco e nele colocou vários gravetos verdes.

Gravetos com pés finos e olhinhos curiosos.

Paradas e paradas naquele ônibus. O bicho esperança tinha que atazanar os transeuntes, mas ele vivia sozinho naquele vazio e não tinha ocupação terrena, por falta de passageiros perturbados.

Foi assim que Deus criou o bicho grilo...

O  segundo passageiro era o bicho grilo, que logo não deu moral ao bicho esperança, pois vivia assustado diante dos infortúnios daquela linha e o  caminho do viver que  seguia atônito em sua frente. Havia muitos  buracos, pois Deus ainda não tinha terminado o mundo nos 07( sete) dias e além disso faltava comida para o grilo, que queria achar insetos e estes não adentravam no ônibus.

O grilo piava, piava, pois não sabia chorar.

Logo em seguida, veio engraçadamente a Joaninha, vestida de vermelho e com um  chapéu de estilo chapeusinho vermelho. Estava feliz, o mundo era rosa e Deus lhe fez vermelha  para combinar.

Era um  bicho que certamente chamaria atenção, pois usava  batom de cor-de-sangue, cílios postiços e sempre estava na moda com o melhor perfume e a roupa preferida pelas blogueiras.

A joaninha é o luxo que habita na gente: ela nos distrai na viagem.

Quanto menos se espera, um percevejo pula pela janela, mas antes disto fura  o pneu do ônibus e este enguiça num lamaçal.

Tristeza total na estrada da vida...

Este bicho é o infortúnio, o azar que sempre vem pulando as janelas  dos carros, nas curvas e desvios. Fede e desgasta o ar do meio ambiente!.

Não se desespere, nem todo azar é eterno, o que é ruim passa logo, pois Deus sabe que os seus bichos são frágeis!.

O imponderável, a sorte, chegou  no   caminho, independente dos percevejos ou dos escaravelhos do antigo Egito. Neste ônibus ainda não é passageira a esfinge, mas viver  é isto: a sorte está ligada ao azar, dois pêndulos!

Logo vai aparecer na curva da estrada, outro bicho, desta vez mais interessante.

Um macaco atravessa a pista e corre ao encontro do ônibus quebrado.

_ Esqueceram   de mim.. Não queriam ver minhas macacadas! O ônibus da vida tem que ter macacadas, disse ele sorrateiramente, e aquele clube seleto de insetos precisavam acreditar que no meio da estrada poderia haver luz no fim do túnel.

Não poderiam dizer não ao macaco, pois já que estavam mesmo parados no meio do nada, somente um doido-varrido teria coragem de empreender viagem.

Num laçar de rabo,  o maçado que não era bobo levantou  a roda para que um  novo pneu deste ônibus  fosse substituído e finalizasse aquele prego. Era assim que nascia o famoso macaco-prego!!!

Balanço vai, balanço vem e  chegam de mansinho um mocinho e uma mocinha pelados e envergonhados. Neste instante aparecem o  bicho-homem e o bicho-mulher, bichos racionais, mas que  estranharam aquilo. Eram gigantes e Deus não disse que no ônibus ia ter bicho que pudesse os morder! Afinal, quem gosta de Joaninha, percevejo, grilo ou de esperança?

De estimação, talvez salve-se somente o macaco prego.

E  ali estavam   estavam devidamente arranjados em bancos dourados,  os bichos esperança, percevejo, grilo, joaninha, o macaco prego e nada mais. Aqueles dois seriam os reis da boleia.

Deus então sai da direção, pois quem dirigia o ônibus era um ser transparente e se  incorpora numa imagem similar ao do bicho homem, e diz: _ São meus filhos!

­_ Nesta linha da vida eles precisam de esperança, grilos, percevejos, uma joaninha para se divertir e um macaco prego para os solavancos!

_ Quando parar o ônibus eles acham mais bichos, contudo e,  portanto, por enquanto, devem valorizar os que estão com ele, pois serão seus fiéis escudeiros, cada um com suas particularidades!.

A vida é uma viagem. Tudo passa muito rápido!!!.

Este ano foi um tempo de viagem difícil, e nem sempre a sorte conseguiu acalmar os solavancos do azar.

Apareceu um bicho complicado, chamado Covid e os insetos ficaram em bancos separados, quando não morreram, pois era complicada ficar de quarentena no mundo, num ônibus mundo!

 O essencial é viver bem, com os bichos preferidos de Deus, ou seja,  com grilos, percevejos, joaninhas, macacos- pregos, com o bicho esperança e Deus no comando.

O Covid 19 foi um convidado penetra e logo sairá! Pelo menos é o que penso na exata possibilidade que escrevo este artigo, pois não se há notícias históricas de penetras em tanto tempo na história do mundo.

Feliz ano-novo para todos!

Luciana Aglantzakis - 28/12/2021

COMENTÁRIOS

 Nome:
 E-mail:
 Texto:
Comentários (0)
  • Nenhum comentário publicado.