O “cofre” tá pesado – Finanças da Família. (1ª texto)

Rogério Lopes é crente em JESUS CRISTO, facilitador em Finanças da Família, Administrador de Empresas; Especialista no Agronegócios; Articulista em Negócios; Corretor de Imóveis; Perito Avaliador Imobiliário e Colunista do site Justocantins.  [email protected] - 06/05/2020

Naquele dia estávamos terminando um estudo de tempos e movimentos sobre o uso de dinheiro daquela família (consulta), quando o menininho disse o “cofre tá pesado papai”.

Fiquei comovido pelo momento instrucional, pois verifiquei in loco o esforço daquelas pessoas para por em ordem suas finanças, pois praticas positiva de mitigação estavam sendo difundidas e aplicadas, tinham até um “porquinho (cofre) cheinho de moedas” que valor intangível familiar.

Quais são seus valores em finanças?

Ou melhor, como ficar rico ou ter sucesso em finanças?

As respostas são subjetivas...sei disso.

Estamos em tempos de pandemia, não temos um horizonte preciso dos desfechos na saúde e economia nacional e mundial, mas é tempo para planos e projetos.

Já ouviu o ditado “quando o leite derrama, limpe o fogão”.

Não tem nada perdido que não possa ser achado, renovado, reconstruído ou construído, em finanças por ser também um instrumento comportamental de gestão, podemos corrigir caminhos.

Conversando com profissionais de diversas áreas do conhecimento humano, exponho que não tenho enunciado dos próximos acontecimentos globais, mas cenário é desafiador nas várias facetas da ação do homem.

Renda, emprego, produção, consumo, demanda e oferta estão em pleno vapor mundo afora, estamos dentro desse turbilhão de acontecimentos.

Aplicação de táticas clássicas do uso do dinheiro familiar, tipo: não gaste mais que você ganha, poupe, consuma produtos e serviços essenciais, pesquisa de preço, pechinche, busque simplicidade, não seja fiador, venda bens inúteis, foque seus sonhos, aumente sua renda e perspicácia em seus investimentos e aplicações, estão estampadas como necessárias para todas as classes sociais.

Nossos cincos sentidos devem estar atentos para os tempos vindouros, firmes no entendimento do cenário econômico global, para assim dirigirmos bem o uso do dinheiro.

Obtive um comentário que me chamou atenção mais ou menos assim: “Estamos no mesmo barco, na mesma tempestade, uns encarando como se fosse férias, outros se torturando sem o que comer, sem dinheiro, perdendo seus empregos, fontes acessíveis de renda desmoronando e por fim adoecendo, alguns têm poupança e bens, outros nada, nisso tudo as famílias estão se conhecendo e adaptando a vida como ela é”.

Evidente que é um relato pessoal, interessante para aprendermos com a vivencia de terceiros.

Gosto de comentar que somos seres inteligentes e muito podemos nos especializar com situações sensíveis globais.

Finalizando, exponho o caso da formiguinha que ficou sem sua casinha, nada de coitadinha, ela continuou trabalhando em sua nova casinha.

Continuemos confiantes, trabalhando é com bons propósitos em nossas finanças.

Deus os abençoe!

 

*Rogério Lopes é crente em JESUS CRISTO, facilitador em Finanças da Família, Administrador de Empresas; Especialista no Agronegócios; Articulista em Negócios; Corretor de Imóveis; Perito Avaliador Imobiliário e Colunista do site Justocantins.  [email protected]

COMENTÁRIOS

 Nome:
 E-mail:
 Texto:
Comentários (0)
  • Nenhum comentário publicado.