Gilmar revoga sua disparatada liminar: Juíza pode condenar Paulo Preto (PSDB) mais uma vez

Luiz Flávio Gomes* - 07/03/2019

Em nosso vídeo de 28/2/19 mostrávamos a todos e ao ministro Gilmar Mendes que já estávamos com tudo preparado para entrar com novo pedido de impeachment contra ele no Senado, se ele mantivesse sua aloprada liminar de impedir a juíza de São Paulo de julgar o segundo processo de Paulo Vieira de Souza (Paulo Preto), ex-diretor da Dersa, conhecido como o operador das propinas do velho PSDB em São Paulo.

A liminar do santo Gilmar (“anjo da guarda”, de acordo com os apontamentos de Paulo Preto encontrados em sua residência) geraria a prescrição de crimes graves a ele imputados. No próximo dia 7/3 ele completará 70 anos (aí a prescrição conta-se pela metade). Seria um descalabro tal prescrição, que incentiva a corrupção no Brasil. E Gilmar seria o direto responsável por mais esse disparate.

Gilmar, quando se afasta do Código de Ética e das regras procedimentais, vem cumprindo, nas suas decisões controvertidas (habeas corpus para o pai da noiva de quem ele foi padrinho, por exemplo), o deplorável papel de agente acobertador de falcatruas e desvios de dinheiro público, cometidos por larápios impiedosos.

Só para Paulo Preto, que tem conta compartilhada na Suíça com mais de R$ 130 milhões de reais, ele já havia concedido dois habeas corpus. Foi o PSDB que o colocou no STF (ainda continua essa aberração da indicação política), daí a inferência óbvia de que prestava ajuda para seus amigos (amigos de jantares em sua casa) no exercício da jurisdição. Aparato de proteção, com a morte da independência judicial.

Diante da revogação da sua própria liminar, a juíza em São Paulo não está mais impedida de julgar o novo processo de Paulo Preto (nesse caso, desvio de 7,7 milhões de reais, tirados da educação, saúde, Justiça, segurança e infraestrutura). Muita gente custa ainda acreditar que a corrupção é assassina.

Paulo Preto já tinha revelado disposição para delatar seus comparsas nessas tramoias engendradas durante vários governos do PSDB em São Paulo. Se isso ocorrer, finalmente a Justiça Criminal vai entrar fundo nos velhos quadros do cínico e apodrecido PSDB, que em matéria de falta de ética e de corrupção em nada se distingue dos métodos e das patifarias revelados pelo PT (mensalão, por exemplo), sendo ambos agora seguidos pari passu pelos dirigentes do PSL, com suas candidaturas laranjas e macabros desvios do fundo eleitoral. Farinha do mesmo saco. Temos que voltar ao nosso voto faxina nas próximas eleições. Até limpar tudo.

Toda essa velha política tem que ser enterrada, passando-se o Brasil a limpo. Nosso movimento Quero um Brasil Ético luta pelo império da lei contra todos (“erga omnes”), pouco importando a ideologia do implicado (centro, esquerda ou direita).

*LUIZ FLÁVIO GOMES, professor, jurista e Deputado Federal – PSB/SP.

COMENTÁRIOS

 Nome:
 E-mail:
 Texto:
Comentários (0)
  • Nenhum comentário publicado.